Paulo Guedes explica sobre prorrogação de auxílio emergencial de R$ 300 por 4 meses

Paulo Guedes explica sobre prorrogação de auxílio emergencial de R$ 300 por 4 meses
Paulo Guedes explica sobre prorrogação de auxílio emergencial de R$ 300 por 4 meses | © Sergio Moraes/Reuters

Paulo Guedes explica sobre prorrogação de auxílio emergencial de R$ 300 por 4 meses

O ministro da Economia, Paulo Guedes, em sua exposição bimestral à comissão que acompanha as ações governamentais de combate à pandemia de covid-19, anunciou nesta terça-feira (1º) a prorrogação do auxílio emergencial por mais quatro meses, em parcelas de R$ 300. Ele havia participado momentos antes, no Palácio da Alvorada, do anúncio que garantiu a continuidade do benefício por um prazo maior.

>Auxílio emergencial: governo vai pagar mais quatro parcelas de R$ 300

— O auxílio emergencial estava em torno de R$ 600 para 64 milhões de brasileiros. Então, é uma tentativa de aterrissagem suave agora, descendo para R$ 300, quatro prestações até o final do ano. Ainda no orçamento de guerra, são mais R$ 80 bilhões, quase R$ 90 bilhões, quer dizer, é bastante, mas mostrando, ao mesmo tempo, que essas são as últimas camadas de proteção que nós estamos lançando — afirmou.

>Superútil: novas funções que o WhatsApp lançará em alguns dias

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a decisão do governo de encaminhar medida provisória que prorroga o auxílio emergencial por mais quatro meses no valor de R$ 300 foi importante e foi tomada com base no que a equipe econômica considera possível.

Maia disse que é preciso ter cuidado para atender aos mais vulneráveis e ao mesmo tempo não dar uma sinalização negativa de descontrole do gasto público. Segundo ele, o debate sobre os valores serão feitos com cuidado e com responsabilidade.

“O importante era o governo ter tomado a decisão de encaminhar aquilo que o governo e a equipe considera possível. Vamos avaliar. Temos que ter muito cuidado, o auxílio é muito importante, mas os valores já vinham gerando um forte impacto nas contas públicas. No momento adequado, vamos colocar em votação”, disse.

Auxílio Emergencial

O auxílio é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, como forma de dar proteção emergencial durante a crise causada pela pandemia da covid-19. O benefício começou a ser pago em abril e foi estabelecido em três parcelas de R$ 600. Em junho, por decreto, o governo prorrogou o auxílio por mais duas parcelas, no mesmo valor. E agora, com mais quatro parcelas, em valor menor, o benefício vai se estender até o fiml do ano.

Veja mais