OMS pede para evitar euforia com resultados das vacinas e alerta para não terminar com medidas contra o coronavírus

OMS pede para evitar euforia com resultados das vacinas e alerta para não terminar com medidas contra o coronavírus
OMS pede para evitar euforia com resultados das vacinas e alerta para não terminar com medidas contra o coronavírus | RDIF/AFP

OMS pede para evitar euforia com resultados das vacinas e alerta para não terminar com medidas contra o coronavírus

Os anúncios de eficácia nas vacinas Moderna e Pfizer-BioNTech, trouxeram esperança ao mundo, porém a Organização Mundial da Saúde (OMS) pede para evitar a euforia, já que as infecções por coronavírus continuam aumentando.

Há pouco mais de uma semana, Pfizer e BioNTech anunciaram que sua vacina tinha 90% de eficiência, enquanto ontem os laboratórios La Moderna relataram que a eficácia de sua vacina é de 94,5%, ainda maior do que a da Pfizer- BioNTech.

Esses resultados têm causado grande otimismo em milhões de pessoas ao redor do mundo, pois acreditam que com esses resultados, o fim da pandemia do coronavírus está cada vez mais próximo, porém, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lembrou que as infecções diárias continuam batendo recordes e o coronavírus continua a ser muito perigoso.

“Não é hora para complacências”, alertou hoje o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Estamos cautelosamente otimistas de que haverá mais mídia contra o coronavírus nos próximos meses, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus em entrevista coletiva

Ressalte-se que o Ghebreyesus teve que passar as últimas duas semanas isolado por ter entrado em contato com um caso de coronavírus , porém, garantiu que não desenvolve sintomas da doença desde o início da quarentena em 2 de novembro, mas que nenhum teste foi feito também.

Em reunião do Comitê Executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS) , o governante alertou que uma possível vacina contra ela não será suficiente, por si só, para vencer a pandemia e “só vai complementar os outros meios disponíveis, sem substituí-la”.

A esperança em vacinas , observou ele, não esconde “extrema preocupação com o rápido aumento de casos, enquanto muitos profissionais de saúde estão no limite.”

Tedros também alertou que um número preocupante de pacientes com Covid-19 estão sendo detectados com efeitos negativos em sua saúde a longo prazo, mesmo depois de superar a doença, e lembrou que a doença é produzida por “um vírus perigoso que pode atacar qualquer sistema do organismo”.

Ele garantiu que todos os países têm que usar todos os recursos de que dispõem para continuar lutando contra o avanço do coronavírus, desde o rastreamento dos casos até a quarentena de afetados e suspeitos, e alertou que não fazer isso “pode ​​levar a mortes, sofrimento e repercussões no suas economias”.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) espera que nos primeiros meses a disponibilidade das doses das vacinas seja limitada, por isso recomenda priorizá-las nos profissionais de saúde, idosos e outros grupos de risco.

Isso, alertou Tedros perante o Comitê Executivo da Organização, “ainda vai deixar muito espaço para o vírus circular”, por isso fez questão de não acabar prematuramente com as medidas que agora tentam controlar a expansão do coronavírus, como rastreamento de casos ou as quarentenas que ele mesmo teve que passar.

Por outro lado, hoje foi revelado que houve 65 casos de COVID-19 relacionados com funcionários da OMS em Genebra desde o início da pandemia, embora a diretora técnica do órgão para COVID-19 , María Van Kerkhove, tenha esclarecido que apenas 36 deles estavam dentro do complexo, de acordo com a agência de notícias EFE.

No último sábado foi registrado um número recorde de 660 mil novas infecções em apenas 24 horas, e as mortes diárias também estão em alta, portanto, seus números são semelhantes aos de abril: só na semana passada foram 60 mil mortes, lembraram. Especialistas da OMS na conferência de imprensa de hoje.

>Mega-Sena da Virada terá prêmio estimado em R$ 300 milhões

Veja mais