Lava Jato: PF faz operação no Rio contra lavagem de dinheiro

Em uma nova fase da Operação Lava Jato, os policiais federais cumprem nesta terça-feira (19/11) 19 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão em três estados brasileiros.

Foto: Marcelo Camargo|Arquivo Agência Brasil

De acordo com a polícia, a ação visa desarticular uma organização criminosa vinculada ao doleiro Dario Messer e tem, entre seus alvos, o ex-presidente do Paraguai Horácio Cartes, que governou o país vizinho nos anos de 2013 a 2018.

Batizada de Patron, ou seja “patrão”, a operação faz uma referência ao apelido dado por Messer ao ex-presidente paraguaio.

Ainda segundo a Polícia Federal, as investigações já identificaram R$ 20 milhões de dólares que teriam sido ocultados por Dario Messer dos quais 17 milhões foram depositados em um banco do arquipélago caribenho das Bahamas e o restante teria sido repartido entre doleiros, casas de câmbio, políticos e empresários do país Paraguai.

A PF diz ainda que Cartes seria uma pessoa de inteira e maior confiança de Messer no país e teria dado ajudo ao doleiro para fugir de autoridades dos países do Brasil bem como do Paraguai.

Quanto a Messer, a polícia informa que ele teve a prisão decretada em maio de 2018 expedida pela 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro durante a Operação  Câmbio, Desligo. Após ficar foragido por mais de um ano. A prisão de Messer foi cumprida somente em julho deste ano, onde ele foi acusado de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e participação em organização criminosa.

Quanto os alvos que residem no Paraguai e nos Estados Unidos, ambos foram incluídos na lista vermelha da  polícia internacional, a Interpol.

Sobre a Lava Jato

A operação Lava Jato é a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve.  No primeira etapa da investigação, desenvolvido em março de 2014, perante a Justiça Federal da cidade de Curitiba no estado do Paraná, foram investigadas e processadas quatro organizações criminosas lideradas por doleiros, que são operadores do mercado paralelo de câmbio. em seguida o Ministério Público Federal recolheu provas concretas  de  esquema criminoso de corrupção envolvendo a estatal brasileira, Petrobras.

 

Veja mais