FGTS: 1 milhão de trabalhadores não querem fazer o saque de até R$ 1.045

FGTS: 1 milhão de trabalhadores não querem fazer o saque de até R$ 1.045
FGTS: 1 milhão de trabalhadores não querem fazer o saque de até R$ 1.045 – Foto: Siumara Gonçalves

FGTS: 1 milhão de trabalhadores não querem fazer o saque de até R$ 1.045.

Do Jornal Extra – A Caixa Econômica Federal recebeu um milhão de pedidos de trabalhadores que optaram pelo cancelamento ou desfazimento do crédito do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de até R$ 1.045. O volume de recursos que não serão sacados chega a R$ 900 milhões, segundo o banco.

>FGTS: Prazo para cobrar depósitos de 30 anos para ação proposta até 13 novembro de 2019

O governo lançou o novo saque emergencial FGTS para estimular a economia durante a pandemia de Covid-19. Segundo as regras, todo trabalhador com conta inativa ou ativa receberá até R$ 1.045 em conta poupança social digital da Caixa, mesmo que não peça para ser beneficiado.

Segundo a instituição financeira, não há prejuízo para o trabalhador que pedir a devolução do dinheiro à conta vinculada. O dinheiro retorna ao saldo do FGTS com todas as correções.

>Caixa encerrará depósitos do saque emergencial do FGTS ainda este mês

Veja como pedir o cancelamento

Antes do recebimento

Se o trabalhador ainda não recebeu o FGTS emergencial na poupança digital, é necessário fazer um pedido pelo menos dez dias antes da data prevista para o depósito. O dia do pagamento depende do mês de aniversário.

Primeiramente, o dinheiro é transferido do FGTS para a poupança digital da Caixa (entre 29 de junho e 21 de setembro). É esta data que deve ser levada em consideração. Somente depois o dinheiro é liberado para saques.

Se ainda faltam pelo menos dez dias até o dia do depósito, você pode pedir para não receber. Isso deve ser feito pelo aplicativo FGTS (disponível para Android ou iOS) ou pelo site do FGTS. Correntistas da Caixa também podem fazer o pedido pelo internet banking.

>Novo grupo recebe até R$ 1.045 do saque emergencial do FGTS; veja calendário

Devolução automática

Se o beneficiário perder o prazo de comunicação à Caixa e não movimentar o dinheiro depositado na conta poupança social digital pelo Caixa Tem até 30 de novembro de 2020, o valor será devolvido à conta de FGTS, com direito à correção.

Se isso acontecer, o cotista terá ainda um mês (até 31 de dezembro de 2020) para mudar de ideia e pedir de volta o depósito do saque emergencial de até R$ 1.045 na conta poupança social digital. Essa solicitação deverá ser feita pelo app FGTS.

>Banco libera novo lote de saque emergencial do FGTS para nascidos em setembro

Desfazimento

Se já recebeu o depósito do FGTS emergencial e não quer o dinheiro, o trabalhador precisa pedir o que a Caixa chama de “desfazimento” —ou seja, o retorno do dinheiro à conta no fundo. Os passos a seguir valem para o aplicativo FGTS (disponível para Android ou iOS) e para o site do FGTS.

1. Abra o app/site, preencha seu número de CPF, marque o quadrado “Não sou um robô”. Em seguida, digite sua senha. Se é seu primeiro acesso ao sistema do FGTS, clique em “Cadastrar-se” para gerar sua senha.

2. No menu inicial, vá até a opção “Saque Emergencial FGTS”.

3. Na parte de baixo da tela, estarão indicados o valor que foi transferido e o número da conta poupança social digital. Aperte a opção “Solicitar o desfazimento” e, depois, em “Continuar”.

Após a confirmação do pedido, o dinheiro deverá retornar à conta do FGTS em até 30 dias. Se o trabalhador usar parte do dinheiro — pagamento de boleto pelo aplicativo Caixa Tem, saque na agência ou transferência —, a Caixa vai negar o pedido de desfazimento e manter o valor na conta poupança social digital.

>Pode ser verificado em extrato o crédito com resultado do FGTS de 2019

Veja mais