Brumado (BA) recebe projeto de leitura nesta sexta-feira (30)

Nesta sexta-feira (30), os livros ganham atenção especial na Escola Municipal Oscarlina Oliveira Silva, localizada no município de Brumado, no sudoeste baiano. A instituição de ensino será contemplada com uma unidade do projeto Cantos de Leitura, com acervo de 1.200 novos livros. A implantação do espaço de leitura é uma realização da Rede Educare com patrocínio da RHI Magnesita, via Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria Especial de Cultura.

A nova biblioteca de ambientação lúdica, que também conta com materiais pedagógicos e brinquedos educativos, vai beneficiar 231 crianças e adolescentes (com idade de 10 a 15 anos) do ensino Fundamental II, que estudam em tempo integral, educadores, funcionários da escola e a comunidade do entorno. Esta é a 35ª unidade implantada do projeto Cantos de Leitura que está em sua quarta edição e, em 2019, irá inaugurar um total de 16 novos espaços em cidades brasileiras.

“A escola conta com uma biblioteca de livros antigos e doados, além de muitos arquivos de fotocópia. A perspectiva de criar um espaço contendo mobiliário e livros novos está sendo comemorada como a realização de um sonho para os estudantes. Para os professores, as publicações do acervo do Cantos de Leitura abrem a possibilidade para utilizar a literatura como ferramenta de ensino durante as aulas”, afirma Cínzia Aglaê Aguiar de Oliveira, diretora da escola e coordenadora do Cantos de Leitura.

Ao apostar na educação e na cultura, a iniciativa oferece sua contribuição em comunidades localizadas em áreas de vulnerabilidade social. O projeto faz dos livros uma ponte para unir seus usuários a novas formas de ver o mundo. São 35 mil livros já doados para as unidades inauguradas no Brasil. Até o fim de 2019, serão cerca de 55 mil livros de diferentes editoras e gêneros literários à disposição de milhares de beneficiários do projeto, entre crianças, jovens e adultos.

“Acreditamos na Educação e Cultura como meio de profunda transformação social. Estamos muito contentes de fazer parte desse projeto, e poder contribuir com o fomento da leitura entre os jovens, apoiando seu protagonismo na sociedade”, comenta Lucilla Soledade Matos, analista de Responsabilidade Social da RHI Magnesita.

“A ideia é estimular o prazer pelo ato de ler e promover a autoestima de pessoas, pois muitas nunca tiveram o livro em suas vidas. O projeto propõe, também, o acesso a um espaço onde podem ‘aprender a ser, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a conhecer’, seguindo os princípios ensinados por Jacques Delors”, realça Kátia Brasileiro, diretora da Rede Educare.

Durante o ano que segue a implantação do espaço, voluntários da RHI Magnesita se envolverão na iniciativa desenvolvendo ações com as crianças e adolescentes da escola.

Veja mais