Auxílio emergencial do Cadastro Único terá mais duas parcelas extras de R$ 600

Auxílio emergencial do Cadastro Único terá mais duas parcelas extras de R$ 600
Auxílio emergencial do Cadastro Único terá mais duas parcelas extras de R$ 600

Auxílio emergencial do cCadastro Único terá mais duas parcelas extras de R$ 600.

O governo federal anunciou, nesta terça-feira (30/06) o novo valor das 4ª e 5ª parcelas do auxílio emergencial do Cadastro Único. O anuncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro.

Desde que foi decretada a crise, e o isolamento social foi recomendado para evitar o contágio, o governo ofereceu um auxílio emergencial no valor de R$ 600, para 60 milhões de trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados.

>Bolsonaro libera auxílio financeiro de R$ 600 para o setor cultural

Inicialmente, o benefício foi criado para ter três parcelas, mas agora o governo decidiu prorrogar o auxílio por mais duas parcelas também mesmo valor de R$ 600. Veja como fica o pagamento do auxílio do Cadastro Único.

>Auxílio emergencial: Prazo para inscrição termina nesta quinta; veja como solicitar

Como fica o valor?

  • Quarta parcela: R$ 600 (JULHO)
  • Quinta parcela R$ 600 (AGOSTO)

Calendário para saque da terceira parcela

  • 18 de julho: nascidos em janeiro
  • 25 de julho: nascidos em fevereiro
  • 01 de agosto: nascidos em março
  • 08 de agosto: nascidos em abril
  • 15 de agosto: nascidos em maio
  • 29 de agosto: nascidos em junho
  • 01 de setembro: nascidos em julho
  • 08 de setembro: nascidos em agosto
  • 10 de setembro: nascidos em setembro
  • 12 de setembro: nascidos em outubro
  • 15 de setembro: nascidos em novembro
  • 19 de setembro: nascidos em dezembro

Para conseguir prolongar o benefício sem a necessidade de enviar um novo projeto de lei ao Legislativo, o governo teria que manter o valor de 600 reais e assim foi feito. Com isso, cerca de 64,1 milhões de pessoas que tiveram o benefício aprovado receberão mais duas parcelas, no mesmo valor.

>Minha Casa Minha Vida deve mudar de nome com duas novas modalidades

“Obviamente, isso tudo não é apenas para deixar a economia funcionando, viva, mas dar o sustento para essas pessoas. Nós aqui que estamos presentes sabemos que R$ 600 é muito pouco, mas para quem não tem nada, é muito”, afirmou Bolsonaro em discurso no Palácio do Planalto.

Assim que acabar a concessão do auxílio emergencial estendido, o governo irá anunciar seus novos programas, frisou o ministro, citando especificamente o Renda Brasil, de unificação de benefícios sociais, e o Verde Amarelo, de estímulo ao emprego.

Veja mais