A importância de esfoliar a pele e porque não fazer com tanta frequência

A importância de esfoliar a pele e porque não fazer com tanta frequência
A importância de esfoliar a pele e porque não fazer com tanta frequência

A importância de esfoliar a pele e porque não fazer com tanta frequência.

Agora que temos um pouco mais de tempo em casa, com certeza te deu algumas rotinas de beleza que você não estava acostumada.

A esfoliação pode ser uma delas, uma prática benéfica mas da qual não se deve abusar. Isso rejuvenesce a aparência da pele, pois ajuda a se livrar das células mortas que aderem à sua superfície, apresentando um aspecto luminoso.

>>Máscara poderosa com 2 ingredientes para renovar a sua pele

Quando limpar a pele

O normal é uma vez por semana – se a sua pele for sensível é melhor esperar 15-20 dias para passar -, massageando e parando principalmente no queixo, testa e narinas, e esfregando o produto com mais suavidade ao redor dos olhos e na parte superior da maçã do rosto.

Mas tome cuidado, pois o excesso ou o uso de uma fórmula muito agressiva pode ser contraproducente para a aparência e saúde da sua pele. Os esfoliantes físicos agora têm fórmulas que substituíram os grânulos mais agressivos por outros que respeitam muito mais a pele, como o açúcar.

No entanto, você deve ter em mente que esfregar bruscamente e impactar demais as áreas mais ásperas fará com que elas fiquem irritadas e até explodam.

>>Óleo de coco: descubra como usar para ter uma pele mais lisa

Produtos corretos

Os químicos tendem a ser mais respeitosos porque suas fórmulas, baseadas em ácidos ou enzimas, removem as células mortas e também as reparam.

Procure produtos que contenham ácido lático ou polihidroxiácido, que, como suas moléculas são maiores, não conseguem penetrar profundamente na pele, portanto, você garante uma esfoliação mais suave, principalmente se sua pele for sensível. Mas nem pense em combinar um esfoliante físico com um mecânico.

Tanto a mistura das duas fórmulas, quanto uma esfoliação muito forte ou muito frequente pode causar vermelhidão, irritação, ardor, ressecamento, descamação, uma pequena erupção na pele ou até mesmo um surto de acne.

A primeira coisa que você deve fazer neste caso é esquecer a esfoliação por um tempo. Além disso, é aconselhável usar apenas produtos de limpeza e hidratantes suaves e sem fragrância, que ajudam a fortalecer a barreira da pele enfraquecida.

E, somente quando sua pele parecer normal novamente – esse processo levará pelo menos uma semana – você poderá reintroduzir gradualmente o esfoliante (desta vez com uma fórmula suave e sem esfregar excessivamente). Embora seja aconselhável que você espere pelo menos 15 dias.

>>Faça seu próprio esfoliante caseiro para cuidar da sua pele em 5 minutos

Veja mais