Donald Trump não cede para o TikTok e continua forçando sua venda

Donald Trump não cede para o TikTok e continua forçando sua venda
Donald Trump não cede para o TikTok e continua forçando sua venda – Foto: Olivier Douliery / AFP

Donald Trump não cede para o TikTok e continua forçando sua venda.

O presidente dos EUA, Donald Trump, foi inflexível na quinta-feira com o aplicativo TikTok, de propriedade da chinesa ByteDance, reafirmando que a empresa tem até 15 de setembro para vender suas operações nos EUA para uma empresa local ou terá que deixe o país.

>Ganhar dinheiro com o TikTok: veja como você pode ser um dos criadores

Em declarações à imprensa, o presidente disse que o prazo de 15 de setembro continua e não haverá prorrogações.

“Não, não vou prorrogar o prazo, não. É 15 de setembro, não haverá prorrogação do prazo do TikTok”, disse Trump antes de embarcar no avião presidencial para viajar para o estado de Michigan, chave do Eleições de novembro e onde ele vai realizar um comício hoje.

“A coisa sobre o TikTok – disse ele – está evoluindo, vamos ver o que acontece. Ou eles fecham ou vão vendê-lo. Então, ou vamos fechar o TikTok neste país por razões de segurança ou ele será vendido.”

>TikTok investe em nova função para ser mais viral no meio da crise com os EUA

Em várias ocasiões, o presidente garantiu que a TikTok representa uma “ameaça” à segurança nacional dos Estados Unidos, razão pela qual impôs o prazo de 15 de setembro e pretende forçar a sua venda a uma empresa norte-americana como a Microsoft, que demonstrou interesse na popular rede social.

TikTok, que tem mais de 80 milhões de usuários nos EUA, é uma das redes sociais que mais cresceu nos últimos anos, onde se tornou o principal entretenimento de muitos adolescentes e um canal de marketing para grandes celebridades.

>TikTok abrirá processo contra o governo de Trump por ordenar proibição

“Ou fecham ou vendem. Portanto, fecharemos o TikTok neste país por motivos de segurança ou ele será vendido.”

O Ministério das Relações Exteriores da China se opõe à venda forçada do TikTok, operação que, em sua opinião, viola os princípios da Organização Mundial do Comércio (OMC).

Na verdade, o governo chinês vê a intenção de vender o TikTok como mais um capítulo na guerra comercial entre Pequim e Washington, que tenta conter o crescente poder tecnológico do gigante asiático, que já viu como a empresa de telecomunicações Huawei tem enfrentado restrições, assim como a popular rede social WeChat, do conglomerado digital Tencent.

>Empresa vazou informações privadas de contas do TikTok, Instagram e YouTube

Veja mais